Projeto de Fantoches realiza ação na escola João Batista Mileo


Na última quinta-feira, 30, voluntários do projeto de extensão Fantoches: uma forma lúdica de incentivar a leitura e falar de inclusão, juntamente com a coordenadora do projeto, professora Fabiane Rabelo, realizaram uma ação na escola João Batista Mileo, no bairro Urumari. “O objetivo é que as crianças, além do incentivo à leitura, também possam adquirir conhecimento acerca de inclusão. O projeto é realizado nas escolas, a convite delas. Normalmente com seis voluntários e comigo acompanhando”, explica a professora.

Os voluntários são acadêmicos dos cursos de Psicologia e Pedagogia do Iespes. Primeiramente, eles cantaram e dançaram com os alunos da escola e depois contaram as histórias com os fantoches.

O projeto iniciou em fevereiro deste ano. Durante o mês, foram realizadas oficinas para que os participantes aprendessem a manusear os fantoches. A apresentação é feita com cenários, cortinas e linguagens que combinem entre si e chamem a atenção das crianças. No mês de março, foram feitas três intervenções em escolas, incluindo a do dia 30.

A dinâmica é sempre a mesma. São realizadas interações entre os fantoches e as crianças e, após as apresentações, a turma conversa com elas para saber se entenderam a história contada e se conhecem os personagens. Depois voltam a cantar e a dançar e realizam brincadeiras para animá-las.