I Congresso Internacional do Iespes encerra com premiações


O I Congresso Internacional de Pesquisa e Ciência e XV Jornada Científica do Iespes encerraram a programação, na sexta-feira, 11, com atividades que movimentaram os espaços do Iespes durante todo o dia e noite, finalizando com premiações dos trabalhos que se destacaram. No total, 936 trabalhos científicos foram submetidos. As inscrições foram de todo o Brasil e dos Estados Unidos. Muitos representantes de trabalhos inscritos aguardaram para acompanhar a divulgação. Antes disto, teve comemoração pelos 17 anos do Iespes, realizada no auditório, que reuniu alunos, professores, participantes do congresso e convidados, com direito a parabéns tocado por saxofonistas do Instituto Maestro Wilson Fonseca e bolo.

A programação durante o dia contou com minicursos, exposição de trabalhos, avaliação de prêmios e a mesa expositiva, à noite, com apresentação de resultados de três projetos de extensão e pesquisa financiados pela Fundação Esperança, desenvolvidos nos cursos de Pedagogia, Farmácia e Enfermagem.

As premiações dos trabalhos, em todas as categorias, tem objetivo de incentivar a iniciação científica entre alunos do ensino médio, acadêmicos e estudantes de pós-graduação. Este ano, pela primeira vez o evento abriu a possibilidade de participação de alunos do ensino médio, para aproximar esse estudante da pesquisa, e tirar a visão de que essa prática está ligada somente ao ensino de graduação e pós-graduação. A professora mestra Giovana Gibbert, que coordena a comissão científica dos eventos, destaca a importância desse envolvimento. “Os alunos do ensino médio, juntamente com professores, desenvolvem trabalhos muito interessantes, que podem servir de trampolim para chegarem à graduação com mais experiência em pesquisa”. No total,13 trabalhos, de escolas públicas, privadas e de instituições federais, foram inscritos na categoria ensino médio, destes sete trabalhos foram aprovados, e dois premiados como primeiro lugar por empate técnico.

As equipes de alunos e professores da Escola Onésima Pereira de Barros e Colégio Dom Amando estavam no auditório e receberam a premiação. “A ideia de premiar o ensino médio no evento internacional é aproximar esses alunos que ainda estão finalizando formação, mas prestes a entrar em uma universidade, do mundo da ciência, incentivando também a participação em um evento científico internacional”, destacou Daniel Berretta, coordenador do Cipec. Na categoria Jovem Pesquisador Graduação, entre os estudantes que estavam concorrendo, Elen Soares, fisioterapeuta e acadêmica de medicina, afirma que se sentiu motivada em participar, já que é difícil ter acesso a eventos internacionais na região. "Foi uma oportunidade tanto de divulgar o meu trabalho e a minha instituição, quanto de participar e receber informações de profissionais de diversas áreas que vieram apresentar aqui".

Luan Aécio Maciel, egresso do curso de Enfermagem do Iespes e estudante do curso de mestrado na área de biociência da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), teve seu trabalho premiado na categoria Jovem Pesquisador Pós-graduação, com o tema: ‘A prevalência de micronúcleos em frentistas no município de Santarém’”. Esse trabalho tem como objetivo avaliar a frequência de micronúcleos em frentistas do município e determinar se eles utilizam equipamentos de profissão de modo individual. Ele ressaltou a importância do interesse pela publicação científica. “Quando participamos de um congresso Internacional e publicamos trabalhos, se torna muito importante para o nosso currículo".

Na categoria Pôster, devido o número de inscritos acima do esperado, a comissão decidiu premiar 10 trabalhos.

No total, 1051 pessoas se inscreveram para os eventos. O livro de resumos com os trabalhos aprovados deve ser publicado em breve no site: fundacaoesperanca.org.

(Colaboração: Douglas Gomes, Riane Batista e Bárbara Caetano, acadêmicos de Comunicação Social/ Jornalismo.)