Calouros de Psicologia são recepcionados por integrantes de Liga Acadêmica


Os calouros do curso de Psicologia do Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes) foram apadrinhados por membros da Liga Acadêmica de Psicologia da Saúde (Lapsa) e, a partir de agora, vão receber todo o auxílio necessário sobre assuntos relacionados à faculdade e até fora dela.

As novas turmas foram divididas em subgrupos. Os veteranos vão ajudar nas principais dificuldades que os calouros possam ter ao longo dos estudos, relacionadas a academia, ou aos serviços próximos da instituição, como supermercados, farmácias, lanches e restaurantes, entre outros.

A coordenadora do curso de Psicologia, Edilmara Rocha, ressaltou que a iniciativa é uma forma de ajudar na adaptação dos alunos com a vida acadêmica, principalmente para aqueles que vieram de outra cidade para estudar em Santarém.

“Os ingressantes que não são de Santarém conhecem pouco da cidade e o funcionamento acadêmico. Eles receberam apresentações sobre os setores e as pessoas com as quais podem buscar apoio. [...] Os ligantes da Lapsa se tornaram responsáveis por auxiliar em demandas institucionais e/ou de locais que os calouros possam necessitar em Santarém”, explicou.

Na sexta-feira, 8, a Liga Acadêmica promoveu um evento para começar a selecionar os novos alunos. Foram apresentadas informações sobre o curso e feitas trocas de experiências entres alunos de vários semestres. Os calouros conheceram a Clínica de Psicologia, que fica localizada na Fundação Esperança, e espaços do Iespes.

“A Lapsa promoveu esta recepção com foco no acolhimento responsável, ou seja, ao mesmo tempo em que estávamos realizando a recepção também acolhemos os calouros no espaço ainda desconhecido que é a faculdade”, ressaltou uns dos integrantes da liga, Erick Rosa Pacheco.

Os alunos também tiveram acesso a informações sobre a importância dos cuidados com a saúde mental e, ao final, receberam um guia com dicas sobre o funcionamento da faculdade e dos serviços próximos a ela.

“Ao ingressar na faculdade, muitas expectativas e medos surgem, e nada melhor do que conversar com pessoas que já estão no curso e podem auxiliar com alguns direcionamentos”, destacou Erick Pacheco.