Alunos de Psicologia apresentam resultados de intervenções feitas na comunidade


Alunos do 3º semestre matutino e noturno do curso de Psicologia do Iespes apresentaram, na sexta-feira, 31, resultados de intervenções realizadas no mês de maio, no bairro São Francisco. Eles fizeram grupos de discussões para conhecer a percepção social e comunitária dos moradores do local e identificar o papel do psicólogo na comunidade.

A primeira parte da socialização dos resultados ocorreu na sexta-feira, 31, e o professor responsável fez a avaliação dos trabalhos. Atividades referentes à mesma ação também serão expostos para a comunidade acadêmica na próxima sexta-feira, 7, às 20h.

A ação faz parte da disciplina Psicologia Comunitária, ministrada pelo professor Felipe Soares Silva. Os alunos foram divididos em três grupos. As ações foram feitas nos dias 3, 10 e 17 de maio.

No primeiro dia, o grupo apresentou a atividade aos moradores e explicaram sobre a psicologia social comunitária. Fizeram parte do momento rodas de conversa, dinâmicas e música.

“Eles quiseram extrair a percepção que os moradores têm do seu ambiente comunitário, na convivência com os pares, com os sistemas que o envolvem, o governo e como eles vivenciam as influências no micro e no macro ambiente. Foi um momento muito importante, trabalhando aspectos psicossociais da comunidade”, explicou Felipe Soares.

No segundo dia, os alunos abordaram a liderança comunitária. Felipe Soares detalhou que os alunos compreenderam como ocorrem os processos de liderança comunitária entre os grupos, por meio da identificação dos tipos de lideranças predominantes entre o grupo de idosos. Além disto, observaram se ocorriam mais de um tipo de liderança durante a atividade realizada, avaliaram possíveis conflitos entre líderes e liderados e explicaram o tema para que os participantes compreendessem a importância e o papel da liderança na comunidade.

No terceiro e último dia, foi realizada a verificação dos resultados obtidos na dinâmica de grupo, relacionando com os principais conceitos de cognição social, para entender a percepção social em uma comunidade.

O professor ressaltou que, por meio das atividades, os alunos puderam “experimentar os conhecimentos teóricos e técnicos apresentados por meio das referências literárias no ambiente dos moradores”.

A aluna Ana Karoline Figueredo de Oliveira ressaltou que os participantes se envolveram nas atividades, expressaram opiniões e contaram histórias da comunidade em que vivem.

"Pudemos ouvir dos moradores do bairro quais as carências, necessidades, gratificações de morar no bairro. [...] Eles falaram que antes era mais calmo e hoje mais perigoso, que tem muita água e é limpa, e que apesar das carências que o bairro tem, da violência, etc., eles não tem interesse em sair de lá. São pessoas que já moram no local há muito tempo e gostam de lá, tem amigos e são unidos”, contou.

De acordo com a acadêmica, a atividade foi importante, tanto para os alunos, quanto para os moradores do local. “Foi muito importante conversar com eles, ter esse aprendizado, porque pudemos, não só levar experiências pra eles, como alunos de Psicologia, mas também aprender com eles. Eles nos trataram muito bem. Foi uma experiência muito interessante, enriquecedora”, destacou.

A participante Francineide Ferreira de Lima aprovou as atividades. “Foi uma dinâmica muito proveitosa, onde cada um pôde conhecer o outro. Cada um falou um pouco de si e demonstrou o que estava sentindo no momento. Foi muito válido para todos que estiveram presentes”.

A moradora também parabenizou os alunos e o professor. “Percebi que os acadêmicos já estão muito preparados. Eles têm algo que desperta o interesse em conversarmos com eles. Estão de parabéns, eles e o professor”, destacou.

A socialização dos resultados na sexta-feira, 7, ocorrerá na área livre do Iespes e será aberta ao público.